VELOZES E FURIOSOS 7 – VALEU POR AQUELA LÁGRIMA NO FIM DO FILME


“Eu costumava dizer que eu vivo minha vida um quarto de milha de cada vez e eu acho que é por isso que foram cunhados porque você fez, também. Não importa onde você esteja, se é um quarto de milha de distância ou a meio caminho através do mundo. A coisa mais importante na vida, sempre será as pessoas nesta sala. Salute mi familia. Você sempre estará comigo … E você sempre será meu irmão.” – Vin Diesel em Velozes e Furiosos 7
SEE YOU AGAIN – música homenagem a Paul Walker no filme Velozes e Furiosos 7
Entre os inúmeros documentários sobre conspirações que já assisti existe um filme que gosto tanto que mencionei quando escrevi um modesto romance NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS. A cena mostra duas pessoas indo ao cinema, o que não poderia faltar em um livro escrito por um cinéfilo assumido:

The Skulls com Paul Walker e Joshua Jackson sobre a organização secreta Skull And Bones da qual fizeram parte quase todos os presidentes americanos nos últimos 100 anos.
Naquele dia assistiram além do Jeff Bridges tentando evitar que o Tim Robins destruísse Nova Iorque eles viram também The Skulls no qual o loirinho do Paul Walker participava de uma conspiração na Universidade de Yale que era bem próxima dali. E Lincoln ficou se perguntando se aquelas coisas dos filmes poderiam de algum modo acontecer.
Como eu poderia imaginar quando escrevi estas palavras uns 5 anos atrás que um dia iria derramar algumas lágrimas assistindo o final do último filme de Paul Walker?  Como ação o filme é só mais um dos Velozes e Furiosos aos quais não assisti. Não gosto de filmes escuros, por mais adrenalina que eles tenham. Valeu à pena o ingresso por dois motivos. Mostra algo que acontece hoje em dia que nem de longe é ficção e que é algo muito sério. E faz a homenagem mais bonita que alguém poderia ter em sua vida ou sua morte.
É incrível como em nenhum momento você tem a impressão de estar vendo outra pessoa que não seja Paul Walker, embora se saiba que algumas cenas foram feitas por meio de computadores e com a dublagem dos irmãos.
E o que existe de tão sensacional assim nesta homenagem: embora no filme seja o Brian Connor, o personagem, que está sendo citado, é a coisa mais óbvia do mundo que ali é Vin Dielsel demonstrando com seu vozeirão seu amor pelo irmão morto. Se algum dia alguém desse um prêmio por uma homenagem feita Vin Diesel seria o mais merecedor dela.
O outro assunto pelo qual vale à pena assistir este filme é que ele mostra como uma única pessoa, com a tecnologia moderna, pode construir o que é chamado de “O Olho De Deus”. Uma máquina como a mostrada na série Person Of Interest que vigia cada instante de sua vida. Isto não é ficção. O Google e o FACEBOOK são apenas amostras de como sua vida pode ser bisbilhotada de cabo a rabo. Além do mais se você tiver alguns dos DRONES que o Obama usa em suas guerrinhas particulares você pode acabar com a vida de qualquer um em qualquer lugar do planeta. Em uma cena um dos personagens diz: “ninguém pode escapar ao olho de Deus”. Nunca uma verdade tão evidente foi dita de um modo tão simples.

Comentários

Postagens mais visitadas