BALADA Nº 7 DUDU DO PALMEIRAS MOACYR FRANCO



Eu não sou exatamente um grande fã de esportes. Entretanto, na hora do almoço, em meu trabalho sempre tem uma televisão ligada no Globo Esporte. E foi assistindo este programa que aprendi a admirar o jogador Dudu.





Eduardo Pereira Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dudu
Dudu
Dudu em 2014 atuando pelo Grêmio
Informações pessoais
Nome completoEduardo Pereira Rodrigues
Data de nasc.7 de janeiro de 1992 (24 anos)
Local de nasc.Goiânia (GO), Brasil
Nacionalidade brasileira
Altura1,67 m
Destro
ApelidoDudu
Informações profissionais
Clube atualBrasil Palmeiras
Número7
PosiçãoAtacante
Clubes de juventude
2003–2004
2005–2010
Brasil Atlético-GO
Brasil Cruzeiro
Clubes profissionais2
AnosClubesJogos e gol(o)s
2009–2011
2010
2011–2014
2014
2015–
Brasil Cruzeiro
→ Brasil Coritiba (emp.)
Ucrânia Dínamo de Kiev
→ Brasil Grêmio (emp.)
Brasil Palmeiras
68 (14)
41 (10)
31 (3)
53 (8)
74 (19)
Seleção nacional3
2011
2011–
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil
(3)
(0)

2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 18 de abril de 2016.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 14 de novembro de 2011.
Eduardo Pereira Rodrigues, mais conhecido como Dudu, (Goiânia7 de janeiro de 1992) é um futebolista brasileiro que atua como atacante. Defende atualmente o Palmeiras.

Clubes

Dudu, iniciou sua carreira em 2001 no Atlético-GO nas categorias de base, onde venceu tudo que disputou pelo clube, saindo em 2005 para uma breve temporada no clube amador Ovel, ficando um curto período e já indo para o Cruzeiro fazer teste na categoria de base, onde foi aprovado e já contratado. No clube mineiro permaneceu cinco anos nas divisões de base.[1] Após chegar aos profissionais em 2009,[2] foi emprestado ao Coritiba no ano seguinte.[3] .

Dínamo de Kiev


Em agosto de 2011, Dudu foi vendido ao Dínamo Kiev por 5 milhões de euros.[4] Logo na sua terceira partida Dudu fez o seu primeiro gol com a camisa do Dínamo, ele marcou o quinto gol na vitória por 6 a 1 diante do Zorya.[5]

Empréstimo ao Grêmio

Em 11 de fevereiro de 2014 foi contratado por empréstimo pelo Grêmio.[6] Ao longo da temporada, Dudu obteve grande destaque atuando pelo Grêmio. Ao término da temporada, o clube gaúcho não renovou com o meia.

Palmeiras

2015

Foi contratado em 12 de janeiro de 2015 pelo Palmeiras por quatro temporadas[7] , após intensa disputa pela contratação do atleta. Foi fundamental na campanha da Copa do Brasil, na qual o Palmeiras sagrou-se tricampeão. Na partida final marcou dois gols, em um jogo que terminou em 2 a 1 para o Palmeiras, levando a final para os pênaltis. Terminou o ano como artilheiro da equipe, com 16 gols.


Polêmicas

Na segunda partida das finais do Campeonato Paulista de 2015 foi expulso de campo juntamente com Geuvânio (Santos). O jogador exaltou-se, empurrando e ofendendo Guilherme Ceretta de Lima.[8] Foi julgado e condenado a 180 dias de suspensão pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo.[9] O Palmeiras recorreu e a pena foi reduzida para 6 jogos.[10]

Seleção Brasileira

Em 2011, foi convocado por Ney Franco para defender a Seleção Brasileira que disputou o Mundial sub-20.[11] Marcou seu primeiro gol na terceira partida em que disputou, na vitória sobre 4–0 sobre o contra o Panamá.[12] Disputou todas as outras partidas, sempre como reserva, e marcou novamente na partida contra a Arábia Saudita, onde o Brasil venceu por 3–0[13] e no empate em 2–2 contra a Espanha.[14]
Estreou pela seleção principal em 10 de novembro de 2011 em partida amistosa contra o Gabão, ao substituir Jonas.[15]

Vida pessoal

Dudu é casado com Mallu Ohanna[16] desde 2008 ou 2009[nota 1] e tem com ela dois filhos:[2] Cauê e Pedro Henrique.
Em 30 de janeiro de 2013, foi preso, em Goiânia, suspeito de agressão a mulher e a sogra. No entanto, após pagar uma fiança no valor de doze mil reais, foi liberado para responder em liberdade.[18] O jogador uma nota oficial dizendo que houve "um grande mal-entendido na ocasião, mas sem qualquer envolvimento da minha esposa" e que o fato "já está devidamente esclarecido mediante os órgãos legais."[19]

“Essa música, que virou a grande homenagem para a história do Mané Garrincha, começou assim. Um amigo – o compositor Alberto Luiz – chegou na minha casa numa manhã e disse: ‘Olha, eu fiz uma música para o Ipojucã, que pode ser o hino do jogador de futebol’. E eu falei: ‘É mesmo? Então vamos escutar!’.
ocruzeiro_ipojucan
“O Ipojucã foi um grande meia avançado, que naquele momento estava internado no Hospital das Clínicas muito mal. [Ipojucan só faleceria em 1978, aos 52 anos].
“Aí eu escutei a música e falei:  ‘´Ó, Alberto, para ser um hino do jogador de futebol, é melhor você falar do Mané Garrincha, que é muito mais emblemático e que também não está numa situação boa. Está até meio doentinho também’. Então começamos a mexer na letra. Claro que a música e a letra são do Alberto Luiz. Mas eu fui dando uns palpites e ela foi ficando redonda e, provavelmente, muito mais bonita do que seria.
“No lançamento do long-play, ela era a faixa cinco ou seis do lado B, ou seja, sem nenhuma esperança de sucesso. Mas, um radialista do Rio chamado Haroldo Eiras (1919-1980) escutou a música e se encantou. Ele ficou completamente apaixonado e, por iniciativa própria, ligou para outras rádios e recomendou a música.
garrincha

Comentários

Postagens mais visitadas