GUERRA CIVIL - HOMEM ARANHA PRESTA HOMENAGEM A ABRAHAM LINCOLN E ROBIN WILLIAMS


Quando alguém assiste a um filme leva ao seu inconsciente coisas que não fazem sentido para mais ninguém. No caso do filme Capitão América - Guerra Civil, um grande fã do Pantera Negra poderá ver nele as semelhanças ou diferenças do personagem que está acostumado a ver nas telas.

Depois de assistir a todos os filmes com Tom Holland, que nem são tantos assim, minha mente só queria ver nele o Lucas de O Impossível vestido em um uniforme de um herói. O garoto é simplesmente sensacional. Impossível assistir a suas entrevistas e não ficar doido para ver os próximos filmes com Peter Parker.



Além do fato de o garoto ser um tagarela incontrolável, prestei atenção em suas piadas infames e no motivo pelo qual ao saudar o Capitão América ele fala gagejando. Aparentemente ele diz:




Cap Captain!

Como ele é tagarela e não gago,  foi impossível não lembrar da cena do filme Sociedade Dos Poetas Mortos, no qual os garotos de uma escola saúdam o professor que foi demitido, interpretado por Robin Williams, com a frase:

Oh Captain, my captain!

O modo como o Homem Aranha fala e faz continência ao mesmo tempo, só pode ser uma lembrança desta frase tirada de um poema escrito em homenagem a Abraham Lincoln, presidente americano, quando este foi assassinado.




Interessante também que quando o poema foi escrito os Estados Unidos estavam em Guerra Civil, sendo que o Capitão do poema é o presidente americano. A viagem medonha a que o autor fala é a guerra na qual o país está dividido.

Quando ele diz que o navio tem resistido a cada rack, o navio simboliza o país e rack é uma palavra inglesa que significa: algo que causa intensa dor física e mental. Como um povo cristão, o porto tem por significado a crença no céu.
As gotas sangrentas de vermelho é o sangue derramado pelo presidente quando levou um tiro mortal. O resto do poema fala da repepção do povo diante de seu falecimento. 

Como os estúdios não tiveram coragem de matar o Capitão América, creio que tal cena presta uma homenagem ao personagem morto nas HQs.
Mas lembrem-se: isto é apenas o que eu vi. Pode não ter nenhuma conexão com a real intenção dos autores e dos diretores do filme.

O capitão! meu capitão! nossa viagem medonha terminou;
O navio tem resistido cada rack, o prêmio que perseguimos é vencido;
O porto está próximo, ouço os sinos, o povo todo exulta,
Enquanto seguem com o olhar a quilha firme, o barco raivoso e audaz:

Mas O coração! coração! coração!
Oh gotas sangrentas de vermelho,
Onde no convés jaz meu capitão,
Caído frio e morto.

O capitão! meu capitão! levanta-te e ouvir os sinos;
Levanta-te-for-lhe a bandeira dança-para você tocam os clarins;
Por você buquês e coroas-de-flores você às margens de uma superlotação;
Para você que eles chamam, a massa oscilante, suas faces ansiosas;

Aqui capitão! querido pai!
Este braço sob sua cabeça;
É um sonho que no tombadilho,
Você caiu frio e morto.

é que o meu capitão não responde, seus lábios estão pálidos e ainda;
Meu pai não sente meu braço, ele não tem pulsação ou vontade;
O navio está ancorado são e salvo, sua viagem finda, acabada;
De uma horrível travessia o vitorioso barco, vem com o almejado prêmio;
Exult, oh praia, e um anel, oh sinos!
Mas eu com passos desolados,
Ando pelo tombadilho onde jaz meu capitão,
Caído frio e morto.

Comentários

Postagens mais visitadas