PÍLULA DO CÂNCER! PARA REINALDO AZEVEDO, A LEI, A OPINIÃO DELE E DO STF SÃO MAIS IMPORTANTES QUE SUA VIDA!




“Não vá o sapateiro além da sandália”

Não se envolva em falsas acu­sações nem condene à morte o inocente e o justo, porque não absolverei o culpado. 
Êxodo 23:7


A frase acima é uma das prediletas do jornalista tucano Reinaldo Azevedo; Por tucano estou afirmando que tudo em seus escritos leva a crer que ele seja simpatizante do PSDB, o que não é crime algum. Ainda.

Ontem coloquei alguns comentários de pessoas no FACEBOOK, defendendo o Professor Olavo de Carvalho de seus ataques malcriados. Faz tempo que deixei de ler os artigos do Reinaldo, por um motivo muito simples: não suporto a frase dele ad eternum de que: “as nossas instituições funcionam e devem ser defendidas! ”.

Funcionando estão meus ovos.

Vejam quem apoia a suspensão da pilula do câncer... Que comemora a falta de caridade com quem tinha um pouquinho de esperança nesta pilula.

Voltando às sandálias e à decisão do STF em proibi-las, vou fazer aqui a minha defesa da pílula, baseado somente no artigo dele e no fato de que já passei pelo inferno de cuidar alguém com esta doença. Por alguém, entenda o ser humano mais importante que já passou em minha vida, desde antes eu sequer existir: minha mãe.

Vamos então dourar a pílula, lembrando para efeito de lógica de que A é A. Ou seja, contra fatos não existem argumentos. Passemos então ao artigo dele.

“Por seis votos a quatro, o Supremo Tribunal Federal concedeu liminar a Ação Direta de Inconstitucionalidade, movida pela Associação Médica Brasileira, suspendendo a lei que autorizou a liberação da fosfoetanolamina sintética para pacientes com câncer. Acho a decisão acertada na forma e no conteúdo. “ R A

Para início de conversa a lei e a opinião do Reinaldo Azevedo são duas coisas distintas. A opinião dele não vale patavina diante da lei, e muito menos para alguém cujas últimas esperanças da vida estão em um medicamento não aprovado pelo governo. O CANCER é uma doença cruel em todos os sentidos e não há dor maior para um filho do que ver sua mãe sofrendo horrores sem ter o que fazer. Na última semana de vida de minha mãe trocamos de analgésicos 4 vezes, sendo que a última vez foi morfina. E nada adiantou. Então para minha irmã que está atravessando a mesma situação a palavra do Reinaldo Azevedo ou de todos os 11 Ministros do STF podem ser classificados como uma maldição.



“É correta na forma porque não cabe ao Congresso legislar a respeito. É correta no conteúdo porque inexistem testes que comprovem a efetividade da substância. O pouco que se sabe até agora aponta, aliás, a sua ineficácia. ” R A

O papel do Poder Legislativo
Compõem o Poder Legislativo (art. 44 da Constituição Federal) a Câmara dos Deputados (com representantes do povo brasileiro), o Senado Federal (com representantes dos Estados e do Distrito Federal), e o Tribunal de Contas da União (órgão que presta auxílio ao Congresso Nacional nas atividades de controle e fiscalização externa).
Congresso Nacional tem como principais responsabilidades elaborar as leis e proceder à fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da União e das entidades da Administração direta e indireta.

Ué, como assim. Se o congresso não pode legislar, quem pode. Aquele antro de propinoduto farmacêutico chamado ANVISA? Aquele órgão tinha de ser abolido. Ele só repassa goela abaixo a legislação do Food And Drug Administration. Milhares de pessoas morrem por ano, tomando medicações que são proibidas em outros países. Então quando aparece um medicamento descoberto em uma Universidade Pública Federal por um cientista não vale nada diante da “opinião” do Reinaldo Azevedo? Ou de 11 Ministros que até agora tem se mostrado comprovadamente ineficientes para punir os crimes de 200 bilhões de reais da República do PT? E quem vai legislar? O STF, apelidado carinhosamente de “Puxadinho do PT” pelo jornalista Marco Antonio Villa?



“A lei, argumenta, contraria os direitos à saúde, à segurança e à vida, garantidos pela Constituição. ” AMB, citada por Reinaldo Azevedo

Puta que os pariu. Como assim? Vocês querem assegurar o direito à vida, tirando a última esperança de alguém que está condenado à morte. Vão para o inferno todos vocês. Quantos milhões de Pixulecos esta Associação Médica Brasileira não ganha para só passar adiante o que os vendedores de drogas dos carteis farmacêuticos dizem para eles que é rentável?


Suely Carvalho e Adriane Oliveira compartilharam um link.



Cantora tinha câncer e morreu na madrugada desta quinta-feira (17). Rainha da disco lançou 17 álbuns de estúdio e hits como 'Last dance'.
G1.GLOBO.COM
“Assim, se quero testar em mim uma pílula na esperança de que me salve, ninguém tem nada com isso, certo? Se posso decidir sobre a minha morte, posso arbitrar sobre as condições que vão me manter vivo.
Pois é…



Esse é o ponto em que a defesa do individualismo tem de se distinguir da anomia social, da desordem, do salve-se quem puder. A liberação de um remédio não é uma questão individual, mas pública.

Não estamos no universo das escolhas pessoais — até porque, não duvidem, estas continuarão a ser feitas, inclusive no que diz respeito à fosfoetanolamina sintética. Se a pessoa quiser testar o remédio, não haverá quem possa impedi-la.

Para quem já teve uma doença grave, ele só pode estar delirando. Como assim? Eu estou morrendo e a minha defesa pessoal tem de ser distinta da ordem social? Se eu morrer, em que isto irá afetar a vida dos 6 ministros que acabaram de me condenar à morte? No final das contas a desordem sempre é feita em nome do coletivo. Vide mensalão, petróleo, e 200 bilhões de rombos de dinheiro que foi roubados de indivíduos, inclusive indivíduos com câncer.



“Na ação, a AMB alegou que o uso da fosfoetanolamina, além de não ter eficácia comprovada, pode prejudicar os pacientes, ao comprometer o tratamento convencional contra o câncer. “

Prejudicar paciente, ao comprometer o tratamento convencional contra o câncer? Um tratamento que foi descoberto durante a guerra do Vietnam e cuja principal propriedade é ser derivada das mesmas “Armas de destruição em massa”  que o ex presidente americano George Walker Bush tanto procurou no Iraque? Passados 16 anos do falecimento de minha mãe, tudo o que eu posso dizer sobre o tratamento dela, é que a mesma foi submetida a um ritual satânico com requintes de sadismos e crueldade. E pouco me importa a opinião do Reinaldo Azevedo sobre como eu deveria ter tratado a mesma.

“Primeiro a votar após Marco Aurélio, o ministro Edson Fachin abriu a divergência, para liberar o uso somente para pacientes terminais. Em seu voto, ele disse que a Anvisa não tem competência exclusiva para autorizar o uso da substância e que, no caso de pacientes terminais, deve ser preservada o direito deles de escolha.” R A

Eu estou pouco ligando se quem liberou a substancia foi a vaca louca da Dilma Rousseff, ou se o “cumpradre” do Alvaro Dias, Edson Fachin acha que se deve liberar para pacientes terminais. Se um paciente com câncer chega a um estado terminal, isto é mais que comprovação de que os tratamentos convencionais são ineficientes. Não servem para merda nenhuma a não ser encher os cofres das megas corporações farmacêuticas.  Minha saudosa mãe, assim que descobriu sua doença, quis tratar a si mesma com ervas naturais. Peço perdão a Deus até hoje por não ter permitido.











Comentários

Qual seu grande projeto?

Qual seu grande projeto?

Postagens mais visitadas