ARLENE CLEMESHA - OU, GERALDO ALCKIMIN CÚMPLICE DO TERRORISMO MUÇULMANO?

 


Faz algum tempo que deixei de assistir o Jornal da Cultura. Gosto do tipo de mídia opinativa que ele propõe. O problema acontece quando os opinantes são divididos entre comunistas hardcore ou comunistas light. Tenho algum apreço pelas opiniões do Marco Antonio Villa e do Luiz Felipe Pondé, fora isto é só jogo de firulas.


Entretanto tem um tipo de comentário que considero não apenas monótono, mas também perigoso. O da suposta especialista em Oriente Médio, Arlene Clemesha. Todo mundo tem o direito de pensar o que bem quiser, inclusive ela mesma. O que acho inadmissível é uma TV estatal, coisa que já não deveria existir, pagar com o meu imposto, coisa que já considero roubo, uma pessoa para vomitar o tempo todo coisas que eu discordo.

Não é o simples fato de ela estar o tempo todo defendendo muçulmanos. Ela não perde um programa sem falar que terrorismo não é coisa da religião muçulmana. O problema maior é que não tem ninguém naquela bancada para desmascarar o bom mocismo do povo que ela tanto defende.






Cada vez que um ato terrorista ocorre e a TV Cultura coloca aquela linda senhora, pelo menos este atributo bom ela tem, para vomitar as mesmas merdas sobre a religião mais pacífica o mundo, ela está sendo cúmplice de atos terroristas. Consequentemente o governo do estado de São Paulo também e, por osmose, o Governador Geraldo Alckimin.



Ontem foi noticiado no Facebook do Palácio do Planalto, que o Presidente Michel Temer não vai mais permitir a vinda de refugiados Sírios para o Brasil. É assim que age um verdadeiro governante. Cite-se que não votei no referido presidente, o que não me proíbe de elogiá-lo quando ele estiver correto. Ao permitir então que um órgão do governo do estado defenda tão ferozmente, algo que ninguém mais está se permitindo defender. Isto faz dele, e consequentemente de seus pagadores de impostos, cúmplices de algo com o que talvez, pessoas como eu, não concordem.


Comentários

Postagens mais visitadas