TEORIA DA CONSPIRAÇÃO


“Juntos novamente. Faz eu me sentir tão bem, estar em seus braços, onde todas minhas jornadas terminam. ”
 The Promise (A Promessa) – Tracy Chapman

Ainda faltava meia hora para a palestra quando Victor e Milla chegaram à Harvard Square. Havia uma praça próxima ao local na qual os dois resolveram ficar. Apesar de tentar se mostrar uma mulher séria, Milla também estava bastante fascinada com todo o interesse de Victor Dorsey no que ela tinha a falar. Fazia muito tempo que suas conversas com seu marido passaram a ser de uma rotina entediante. O tipo de trabalho que ela tinha não era algo que motivasse alguém que parecia mais interessado em ser um garanhão e sair pegando tudo quando era mulher de vida fácil que encontrasse pela frente. Ter então um brasileiro querendo ouvir o que ela teria a dizer a deixava encantada por ele.

- Você falou dos tais Illuminati. Só existem eles no mundo?

- Não. Digamos que eles são a Caixa de Pandora da qual saem todas as desgraças do mundo. Sempre que você ouvir falar de gente milionária ou bilionária se reunindo pode desconfiar. É tudo um grande Big Brother espiritual.

E há de ser que nos últimos dias derramarei a minha mente sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.Joel 2:28


- E como esse povo consegue dinheiro para financiar suas conspirações?

- Primeiramente eles fundam uma ONG com o objetivo de não pagar imposto. Só que o dinheiro com o qual eles ficaram ricos em sua maioria vem do comercio de drogas. Como o Ópio chinês.


- Por isto que eles não querem legalizar nada? Tudo que é ilegal dá mais lucro pela falta de concorrência.

- Você sabe definir o que é uma conspiração?

- Acho que não. Nunca conspirei contra ninguém.

Agora, Senhor Yavé, confirma para sempre a promessa que fizeste a respeito de teu servo e de sua descendência. Faze conforme prometeste. 2 Samuel 7:25


- Toda conspiração necessita de três elementos básicos: duas ou mais pessoas planejando e executando algo ilegal e em segredo. Logo nem tudo o que choca as pessoas pode ser considerado uma conspiração.

- Eu tenho a impressão que meus filhos e sua filha estão conspirando para que nós dois fiquemos juntos.

Victor parou de andar por um instante, olhou aqueles olhos castanhos rodeados de sardas e completou:

- E eu estou começando a gostar desta possibilidade.

Milla fingiu que não entendeu e, principalmente, que não gostou e perguntou com uma voz bem sensual:



- Você está, novamente, tentando me seduzir senhor Victor Dorsey?

- Não é uma ideia das piores. Mas entre uma paquera e outra estou mesmo interessado nessas conspirações que você falou. Parece ser claro demais para o povo não perceber.

- Acontece que enganar o povo é o que eles mais treinam para fazer. Você já ouviu falar em esconder algo bem diante dos seus olhos?

- Se está bem diante dos olhos e for algo deslumbrante como você será meio difícil não ser notado. O Vinny alguma vez falou de mim para você?

- Você acabou de usar uma das táticas deles. Fazer duas observações que não têm nada a ver uma com a outra, para deixar a pessoa confusa. Assim mesmo, obrigada pelo deslumbrante. E sim. Meu sobrinho está mesmo interessado em que eu me torne sua mãe. Ele não perde uma oportunidade de falar de seu pai brasileiro.

Era visível o embaraço que ambos ficaram quando falavam sobre um possível relacionamento entre os dois. Nem pareciam dois adultos conversando.

- Mas voltemos ao nosso assunto. Como alguém pode esconder algo colocando na nossa frente?

“Eles alegram o rei com as suas impiedades, os líderes, com as suas mentiras. Oséias 7:3


- Isto se chama engano e é para isto que existem coisas como cinema e música. Quantas vezes antes você ouviu falar de illuminati ou de homens com genes não humanos?

- E se eu lhe disser que tanto o cinema quanto as músicas modernas estão cheios de referências a isto?

- E como eu nunca percebi?

- Porque eles sempre passam a ideia de que é tudo ficção. Quando na verdade é uma arma de desinformação para enganar todo mundo.

- Mas ninguém leva aquilo a sério.

- Exatamente por isto. Quem pensaria que uma mulher poderia ter um filho com o demônio?

- Eu nunca tinha pensado nisto.

- O objetivo é exatamente este. Primeiro eles colocam algo tão chocante que as pessoas não aceitam nem discutir a ideia. Depois eles mostram centenas de filmes com pessoas assim tanto más quanto boas. É possível até que no futuro, Hollywood faça filmes que se passe no tempo em que nós estamos, e nem mostre as Torres Gêmeas.

- Como assim? Por que eles fariam isto?

- Para negar o que aconteceu, quando as pessoas começarem a perguntar os por quês.

A inteligência de Milla aguçava todos os sentidos de Victor. Se ela própria fosse alguma arma secreta usada contra ele seria muito bem-vinda.

- Então é por isto que eles fazem tantos filmes com Vampiros sofredores. Para ficarmos com pena dos pobrezinhos.

- Assim a humanidade vai se acostumando com a ideia de coisas como manipulação genética ou de seres híbridos entre humanos e super-humanos. Já existem centenas de bebês mutantes pelo mundo afora. Eles querem que você admire o Wolverine a ponto de submeter-se ao mesmo tipo de sofrimento que ele.




- Realmente eu acho o máximo aquela cena do XMen II em que o Piro incendeia os carros da polícia.

- Então você já percebeu como em muitos filmes é muito mais fácil torcer pelo bandido.

Os dois não viam o tempo passando. A companhia um do outro era tão agradável que aqueles assuntos pareciam ser a coisa mais fascinante do mundo. Em certo momento Milla disse bem tranquilamente, como se não tivesse coisa melhor para falar.

- Meu sobrinho tem sorte de encontrar um cara bacana como você para chamar de pai.

Victor pegou as mãos de Milla. A emoção que estava sentindo o fez suar frio. Afinal fazia uma década que algo assim não acontecia com ele.

- Apesar de achar que nossa situação ser um tanto desconfortável eu creio que meus filhos têm razão. Você aceita namorar comigo?

Milla levantou-se e encostou-se à grade de proteção, olhando para as flores no meio da praça. Victor levantou-se também e ficou ao lado dela.

- Assustei você? Podemos esquecer esta parte da conversa e continuarmos a ser bons amigos. Faço qualquer coisa para continuar ao seu lado.

- Olha você é um homem bem interessante. É muito legal ver o carinho que você tem por seus filhos. Mas eu não sei se estou preparada para já sair de um relacionamento e entrar em outro.

Victor aproximou-se mais ainda de Milla. Podia sentir o frescor de sua pele e uma emoção que o fez desejar não sair mais dali.

- A única coisa que eu sei é que neste momento só o que eu quero é beijar você e esquecer o resto do mundo.

O coração dos dois acelerou ainda mais no momento em que Victor beijou Milla pela primeira vez. Seus corpos juntos lhes trouxeram um sentimento de felicidade intenso e um desejo de que tudo aquilo fosse verdade. E naquele momento Victor soube que seus filhos tinham ganhado uma mãe.

Após a palestra Victor ligou para Lincoln para saber onde eles estavam e o casal foi ao encontro deles sem lhes falar da decisão de namorar um com o outro. Ao chegar ao shopping, Victor apressou-se ao ver Murilo. A última vez que se viram foi há cinco anos quando os dois passaram férias em Recife.

- Olha o casalzinho chegando.


Joe West conhece seu filho Wally - The Flash


Todos olharam para trás quando Barbie fez a observação. Murilo levantou-se apressado e foi dar um abraço em Victor. O abraço dos dois foi bem demorado. Victor beijou seu rosto, o que o deixou num misto de estranheza e alegria, visto que aquilo nunca ocorrera antes. Por conta do demorado reencontro dos dois, Lincoln e Vinny abraçaram Milla e conversaram com ela.

- Quanta saudade eu sinto de você, Victor. – os dois estavam realmente felizes.

Lincoln usando de sua sutileza, disse a Milla enquanto a abraçava e beijava seu rosto:

- Agora eu sei por que meu pai anda rindo à toa, e por que não larga mais daquele computador.

- Assim você me deixa acanhada.

Mas foi Barbie, que não tinha muita coisa de discreta, quem deixou Victor e Milla desconcertados. Ela olhou bem séria para Victor e falou sem nem parar para respirar:

- Tio Victor. Eu não vou esperar dez anos, como o Victor Júnior, para dizer que quero ser sua filha. Você não quer ser meu pai?

Murilo ao ouvir aquela frase engasgou, ficando sem ar.

- Quem é Victor Júnior? – Perguntou Victor após Murilo se recobrar do susto.

 Ele erguerá uma bandeira para as nações a fim de reunir os exilados de Israel; ajuntará o povo disperso de Judá desde os quatro cantos da terra.Isaías 11:12


- É o mocinho engasgado. – Responderam Lincoln e Vinny ao mesmo tempo. Não é todo mundo que tem a cara de madeira de Barbie, mas antes de vocês chegarem ele nos contou que por dez anos quis não somente ser seu filho como ter o seu nome. – completou Lincoln.

Murilo, que de tímido não tinha nada, mesmo assim não sabia onde enfiar os olhos.

- Isso é verdade Murilo?

- É sim Vic. Eu nunca falei nada para você por causa de minha mãe.

- Isso não vale. Eu pedi primeiro. – Barbie pareceu um tanto irritada ao retrucar.

- Eu ser seu pai só depende de sua mãe, minha querida. Se ela aceitar casar comigo não tem problema. Como eu poderia não querer uma gracinha como você como filha? Eu até inventaria uma igual, caso você não existisse. E aí Murilo. Você quer mesmo se tornar Victor Dorsey Junior?

- Isso é a coisa que eu mais quero no mundo, pai.

Sem acreditar muito no que estava acontecendo Milla olhou bem séria para Victor Dorsey, que tinha sentado ao seu lado e perguntou:

- É impressão minha ou as coisas nesta família são todas muito dramáticas? Eu tenho a impressão que fui pedida em namoro e em casamento no mesmo dia.

Os quatro filhos então passaram a bater na mesa de madeira e falar bem alto:

- Casa, casa, casa.

- Vocês são todos um bando de doidos. Mas eu caso sim.

Aquele acerto familiar foi selado com beijos e abraços. Victor Dorsey Junior pediu licença por uns instantes e quando voltou com um pacote disse:

- Espero que você ainda seja viciado em pudim de leite, pai.

Vigésimo terceiro capítulo do romance NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS
Catalogação NA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL
NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS – AS CRÔNICAS DE VICTOR
DORSEY / VICTOR DORSEY
NÚMERO DE REGISTRO: 595.801 LIVRO: 1.140 FOLHA 325

Nenhuma parte deste romance poderá ser reproduzida ou copiada, constituindo infringimento da lei de copyright.

Comentários

VOLTE SEMPRE

VOLTE SEMPRE

Postagens mais visitadas deste blog

CARTA ABERTA A VITOR RODRIGUES FERRULIA

BITCOIN (MOEDA DIGITAL) - FAZENDO AS PERGUNTAS CORRETAS

CIDADE DE CHICAGO USARÁ A BLOCKCHAIN PARA REGISTRO DE IMÓVEIS