MAGENTA - FINALMENTE BARRY ALLEN ESTÁ MENOS SOFRIDO


Aproveitando o calor da noite, não confundir temperatura com filme antigo, assisti lá pelas altas horas da madrugada o terceiro episódio da série The Flash. Ninguém cantou musiquinha trágica sobre assassinato de pai e mãe, e não houve nada muito trágico a ser resolvido.

Primeiro filme no qual um personagem negro devolveu a agressão, ou seja a bofetada, de um personagem branco. Temperatura no dia 19/10 às 22:33 minutos: 32 graus.


O episódio foi um romance meio frustrado entre Barry e Iris e algumas cenas de ciúmes de Wally em
relação a não ter poderes.

Ai, um amigo do meu filho pergunta a ele: qual seu herói favorito? Ele responde: o Flash. E o amigo insiste: mas e o Batman? E ele continua: o Batman é só o meu pai. - Ben Affleck no Instagram


Novamente foi algo bem familiar, e pode se notar que o time do Star Labs é uma super família na qual a preocupação uns com os outros têm prioridades sobre combater o crime.

Eu sou do tipo que acredita que uma série qualquer, como esta, pode influenciar o comportamento humano, principalmente no âmbito familiar.

Então é bem agradável ver Joe West tendo um controle familiar sobre seus 3 filhos. Tenho certeza que o romance dos quase irmãos Barry e Iris não é nenhuma conspiração para se aceitar algo mais dramático. 



Até a vilã do episódio foi mais paz e amor, afinal de contas era só uma garota com uma família provisória meio maluca. E no final das contas é isto que interessa aos fãs da série. Diversão. O mundo já tem coisas sérias demais para termos que aguentar Nora e Henry Allen serem assassinados em todas as linhas do tempo. 

E por último tem o super engraçado personagem de Tom Felton. Ele tem um ciúme tão besta por Barry, que é até complicado entender do que ele tem inveja. Só espero que não se torne nenhum super vilão. 

Melhor ele sendo um turrão engraçado.

Comentários

Postagens mais visitadas