DR ESTANHO E OS POLiCIAIS ASSASSINADOS NO RIO



Em doses homeopáticas, entre algumas horas de sono consegui finalmente assistir Dr. Estranho, o mais novo herói da MARVEL. Ao mesmo tempo soube do assassinato de 4 policiais na cidade do Rio de Janeiro, os quais tiveram seu helicóptero derrubado por bandidos. Ao ver o primeiro, notei estranhas similaridades na "ética" de quem o escreveu e no modo de vida que o povo brasileiro tem se acostumado. 


A primeira coisa que você tem de ter em mente, ao analisar um filme feito em Hollywood é o que ele realmente é: PROPAGANDA. Por propaganda não entenda o sentido de algo comercial para vender um produto. Pense no significado da palavra em inglês: "quando o governo diz algo para intencionalmente levar o público a acreditar em algo que, na maioria das vezes, é mentira!".

E este é um filme recheado de propaganda. Tudo nele tem a intenção de levar o espectador a acreditar em mentiras. Pura e simplesmente assim. Vejamos algumas mentiras:




O Dr Stephen Strange é um sujeito narcista, egoísta e que só pensa em si mesmo. Por egoísta entenda alguém que idolatra a si mesmo, por egoísta pense em alguém que acha que o mundo gira ao seu redor. Isto é falado para ele e algumas vezes, até ele pensa assim. Entretanto quando você vê as ações dele fica complicado acreditar neste ser demoníaco. Ele é um neurocirurgião, do mesmo calibre do Dr. Ben Carson, que concorreu à presidência dos Estados Unidos na última eleição. Em uma cena, um homem que está com uma bala alojada no cérebro é dado como clinicamente morto. O Dr. Estranho não só não permite que ele seja operado para retirada dos órgãos para doação, como ainda tira a bala de seu cérebro. Em uma parte do filme ele é ferido em um acidente de carro e fica sem o movimento correto das mãos. E passa o resto da história tentando se curar. E para que ele quer se curar? Para salvar outras vidas. Ou seja, o Dr. Strange tem para si a noção de que o indivíduo é mais importante do que o grupo: um ser humano ferido e indefeso é mais importante do que todos os outros que seriam salvos se ele fosse fatiado.




Em outra parte do filme ele enfrenta um bandido que claramente tem a intenção de matá-lo e destruir o mundo. E não resta outra coisa a fazer a não ser matar o bandido. E logo depois ele fica com remorso porque sua missão é salvar vidas e não tirar vidas.


A outra propaganda explicita é mostrada com relação à Anciã (Tilda Swinton). Em todo o filme ela é mostrada como alguém que impede que forças demoníacas, sim demônios mesmos, invadam o planeta terra. E quase no fim é jogado na cara dela que parte de seus poderes vem do lado negro da força.

E o que tem isto a ver com o Rio de Janeiro? Primeiro uma cretina chamada Fátima Bernardes faz uma enquete manipulada, com a clara intenção de fazer propaganda contra a Polícia Militar. Quem salvar primeiro, o bandido em estado grave ou o policial com ferimentos leves. Da minha parte se a escolha fosse entre a Fátima Bernardes e o bandido, eu deixava os dois sendo comido pelos urubus enquanto morrem. Afinal de contas "quem não é por mim é contra mim e quem comigo não ajunta espalha". Alguém cuja estátua chamada Cristo Redentor representa, disse isto dois mil anos atrás. Esta é a propaganda explicita que existe em comum entre os estúdios de Hollywood e os comunistas que os brasileiros adoram assistir. Eu de minha parte não assisto mais nem as poesias do Braulio Bessa que eram mostradas no programa desta senhora.



Espero que a polícia um dia tenha de escolher entre a vida desta senhora e a de um bandido. E escolha salvar o bandido.



Além do mais, os agentes do comunismo mundial tem feito uma propaganda massiva para que o povo brasileiro pense mal de si mesmo. O povo do Rio de Janeiro, felizmente, mostrou de que lado da força está quando numa disputa entre um pastor e um bandidófilo (amigo dos bandidos), escolheu o pastor. Outra propaganda explicita é o Domingo No Parque programado para o dia de hoje por alguns movimentos sociais. Cite-se que eu fui em todos os outros anteriores. Só tem uma coisa de muito esquisita neste. Todos os outros foram planejados com meses de antecedência e divulgado em todos os lugares possíveis e imagináveis. O que talvez ocorra hoje é uma clara tentativa de ofuscar o brilho dos corajosos que invadiram o puteiro chamado Câmara Dos Deputados. O que se quer é que o povo não ache apropriado vandalizar a casa do povo, como se os bilhões que aqueles 300 picaretas, como classificaria o pirareta mor, não fosse um verdadeiro vandalismo.


Tilda Swinton como a Bruxa da Narnia

E por ultimo a tal energia negra que a personagem de Tilda Swinton usa. Só faltou chamá-la de Bruxa da Narnia. A propaganda aqui é querer que você acredite que não pode usar os mesmos métodos, como invasão de câmara, que os comunistas que eles tanto defendem. Armas, nem pensar. Só os bandidos podem usá-las. Você tem de enfrentá-los cantando Para Não Dizer Que Não Falei Das Flores. Lembro uma notícia que li a muitos anos, quando morava nos EUA. Uma moça ligou desesperada para a polícia dizendo que estavam tentando arrombar sua casa e que ela estava sozinha com seu bebê de um ano. O policial que a atendeu disse que já estava mandando uma patrulha, mas logo depois a moça diz que os bandidos já estão conseguindo arrombar a porta. O policial pergunta se ela tem uma arma em casa, e ao ouvir que sim diz: "faça o que você tiver de fazer para proteger o seu filho". E obviamente ela matou o invasor. Isto me faz lembrar também uma outra frase que gosto muito no filme Oblivion, com Tom Cruise: "isto é só uma ferramente, a arma sou eu".


Mais do que derrubar presidente, o povo brasileiro necessita urgentemente apagar anos de lavagem cerebral que recebeu dos comunistas mundiais espalhados em coisas como novelas, filmes e até revistas em quadrinho.

Comentários

Qual seu grande projeto?

Qual seu grande projeto?

Postagens mais visitadas