CNN MOSTRA COMO O #BITCOIN ESTÁ UNINDO A ÁFRICA À CHINA



Para o leitor americano, o importante na reportagem é o fato de que nações africanas podem burlar a pobreza imposta pelo Estado, usando o Bitcoin para negociar diretamente com seus fornecedores na China. Para mim, que estou iniciando no negócio de divulgar notícias sobre a Moeda Digital, o primeiro fato notável na matéria é quem a está divulgando: CNN (Cable News Network), que apesar do seu lado comunista é a terceira maior rede de notícias pela televisão do mundo e a primeira a divulgar notícias 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Eu acho que a internet será uma das maiores forças para reduzir o papel do governo. A única coisa que ainda está faltando, em eu acho que em breve será desenvolvida, é uma moeda eletrônica confiável, um método através da internet no qual você possa transferir fundos de A para B sem A sabendo quem é B ou B sabendo quem é A. - Milton Friednam - 1999, dez anos antes do lançamento do Bitcoin.


Isto significa que o Bitcoin está deixando de ser assunto de Nerds, interessados em comprar maconha, e se tornando assunto de interesse mundial. Vejamos então o que a CNN tem a dizer:

"A moeda digital Bitcoin, não tem nenhuma ligação com Estados soberanos e existe apenas como zeros e uns no ciberespaço."


Ao contrário do que dizem muitos sites, o Bitcoin não é virtual. Algo virtual, como um holograma, tem apenas a aparência de realidade. O Bitcoin, apesar de não existir em forma física, é algo real e pode ser roubado, mas não destruído. Todos os bitcoins que já existiram, ainda existem no mundo da internet. Apenas seus donos não têm mais acesso a alguns deles por terem, por exemplo, perdido senhas ou HDs nos quais eles estavam estocados. O Bitcoin é então algo Digital (do grego δάχτυλο (dáchtylo) ou dedo).

"Agora um empreendedor no Quenia está aproximando a Africa de seu maior investidor, a China, permitindo que companhias enviem pagamentos para a nação asiática usando o Bitcoin."

Uma transação monetária entre uma pessoa no Quênia e uma na China, poderia ser feita sem nenhum tipo de atravessador. O que o site BitPesa está fazendo é vencendo o medo de uma negociação entre dois desconhecidos e tornando-se ele uma agencia bancária que age como intermediário da negociação. E banco é uma coisa não muito comum em países pobres como Quênia, Uganda, Tanzânia, Nigéria e Congo,  onde os usuários estão usando o BitPesa para enviar Bitcoins direto para contas bancárias com a China. Isto diminui as taxas cobradas pelas agências comuns em até 60% (sessenta por cento).



Antes de existir este método, algumas companhias enviaram pessoas diretamente à China para fazer os pagamentos.

Como o negócio é feito? Imagine que um empreendedor em Uganda importa painéis solares da China. Eles se registram no site BitPesa e requisitam uma transação. O BitPesa calcula as taxas de envio, baseado na quantidade de moeda envolvida. Depois de concordar o pagamento é feito através de uma tranferência usando um celular ou uma transferência bancária. Alguns minutos depois os Bitcoins chegam à China.

Bitcoin não é uma moeda; é a internet do dinheiro. - Andreas Antonopoulos


Obviamente que o BitPesa coleta todos os dados pessoais de quem está transferindo o dinheiro. Este tipo de envio é usado também por pessoas que trabalham nos Estados Unidos ou outro país desenvolvido e enviam dinheiro, via internet diretamente para sua família em outros países como Venezuela ou Brasil.

O BitPesa tem um capital de quatro milhões de dólares e não é a única empresa a fazer este tipo de transferência na africa.

"Criado em 2009 por uma pessoa desconhecida com o pseudônimo de Satoshi Nakamoto, o Bitcoin tem tido um crescente interesse em anos recentes. Alguns especialistas dizem que ele terá um vasto impacto no futuro da tecnologia financeira."

Para que você entenda o que isto significa, basta imaginar que quando eu soube sobre Bitcoin a primeira vez foi por um rapaz da cidade onde moro. Ele me doou um bitcoin para eu publicar uma matéria sobre o assunto em um blog que eu tinha. Não faço a menor ideia de onde foi parar aquele bitcoin. Agora que me informo através de pessoas como Tuur Demeester, Andreas Antonopolous e outros grandes divulgadores do Bitcoin, sei que aquele arquivo digital me valeria 2872,93. Como afirmei anteriormente, aquele bitcoin ainda existe, apenas ninguém tem acesso a ele por falta de endereço e senha. É o chamado Bitcoin Zumbi.






Comentários

Postagens mais visitadas