VIDEO GAMES ELEVAM #BITCOIN NO MÉXICO

Adaptado de uma reportagem de Justin O' Connell



"Bitcoin é dinheiro sem um país." Stacy Johnson

Além da corrupção, a coisa que a maioria dos países modernos têm em comum é a super desvalorização de suas moedas. Na Índia a polícia chegou a bater em quem tentava trocar as moedas de 100 Rupias que o governo declarou não valer mais. Isto significa 50% das notas existentes.

Com a eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos, a economia está ficando muito pior do que já estava. Sendo que nos últimos 3 anos o Peso, moeda mexicana chegou a patamar de 20 para 1 em relação ao Dolar Americano. 

Além desta incerteza economica, a população mexicana é composta de pessoas que não tem nenhum acesso a uma conta bancária. Dos 120 milhões de habitantes, 80 milhões não sabe o que é banco ou crédito.

1 a cada 5 moradores das favelas brasileiras tinham um Smartphone em 2013


Entretanto, assim como o Brasil, os mexicanos são chegados em Smartphones e coisas do gênero. O país possui mais de 100 millhões de celulares em operação. E isto é tudo o que é necessário, para qualquer pessoa em qualquer país do mundo, fazer operações financeiras usando Bitcoin.

E, ao contrário de nós Brasileiros, o Bitcoin não é usado no México apenas como moeda de troca em relação ao peso ou ao dolar. Eles usam em suas vidas díarias das seguintes maneiras:

1 - Compra e venda. Os mexicanos na faixa etária de 16 a 21 anos descobriram que através do Bitcoin eles podem comprar aqueles vídeos que eles são apaixonados e outros aparelhos eletrônicos, os quais eles nunca teriam acesso de outro modo.

2 - Caderneta de Poupança. Para que por exemplo, investir na poupança brasileira  que em Janeiro de 2017 está rendendo 0,685% se o Bitcoin que valia 738 dólares no dia 30/12/2016 está valendo 1.021,05 doláres agora dia 02/01/2017?

3 - Pagamento do comércio pela internet. Os mexicanos viram a Microsoft aceitando Bitcoins e passaram a negociar diretamente com eles, via internet.

De Repente Califórnia - Lulu Santos


4 - Não menos importante que as alternativas acima, está o envio de dinheiro dos EUA para a família. Pense na quantidade de Mexicanos que vivem na Califórnia por exemplo. São tantos que Hillary Clinton usou ilegalmente os votos deles para tentar se eleger. Imagine a burocracia que não é para um mexicano que não tem conta bancária, receber remessa de qualquer quantidade de um filho que está trabalhando nos Estados Unidos. Tudo isto pode ser resolvido em 10 minutos com o uso de um mísero aparelho celular nos Estados Unidos e outro no México.

Aparentemente o único país falido que ainda não está levando o Bitcoin a sério é o Brasil. Tanto que a moeda digital ainda é conversa de nerd e poucos se dão conta de que, mais que qualquer político, o Bitcoin e uma arma são as soluções para nossa independência político financeira.



Comentários

Postagens mais visitadas