#BITCOIN, ESPIRITO SANTO E CARIDADE



Imagine por um instante que o caos intalado no Espirito Santo não fosse sanado pelo exército. Coloque sua mente para funcionar e pense em todo um estado dominado por bandidos, ladrões e assassinos, como aparenta ter sido nos últimos 3 dias.


Pense que, assim como o Roberto Carlos, você também tivesse nascido em Cachoeiro do Itapemirim e soubesse que, no meio do apocalipse zumbi instalado lá, seus amigos de escola ou até familiares estivessem ilhados numa realidade pós apocaliptica causada pela inabilidade do governo de gerenciar a polícia de seu estado.
Lembrei desta canção ao saber do caos em Cachoeiro do Itapemirim

Estando você em uma vida bem mais confortável que eles, tenta fazer alguma coisa para amenizar a vida da população capixaba. Entretanto, como a bandidagem reinou geral, instituições como Bancos, Cruz Vermelha ou mesmo a Igreja Universal estejam incapacitadas de compartilhar qualquer quantidade de dinheiro enviada do exterior para dentro do Estado.

Você consegue através de uma campanha bem feita, arrecadar uma quantidade razoável de dinheiro, o qual pelos motivos expostos, não tem como chegar ao seu destino.

O que fazer então?

Para este mundo sem lei, no qual somente bandidos de alta periculosidade, como o 9 Dedos e sua gang, podem ter uma vida de confortos e privilégios é que foi criado o Bitcoin.

A moeda digital criada por Satoshi Nakamoto não leva em consideração o sistema monetário mundial. Ele não pode ser roubado de sua carteira por um batedor qualquer. A não ser que você seja ingênuo de deixar grandes quantidades de dinheiro em um celular.                                                                                      

O mais prudente para quem tem uma quantidade razoável de Bitcoins é distribuí-la em várias carteiras. Quando falo de carteira, a analogia a ser usada não é de uma conta do banco. É antes a de uma carteira qualquer mesmo que você pode andar com ela para todos os lugares. A única diferença é que ela pode ter várias senhas diferentes.
5 MESES


Voltando então à situação do Espirito Santo, a qual felizmente o Exército está resolvendo com a passividade de um fuzil. Se tem uma coisa que bandido nenhum quer acabar é com a internet. Em qualquer favela e qualquer morro, sempre haverá uma ligação clandestina que garantirá o funcionamento da grande rede mundial. E o único jeito de impedir que qualquer quantidade de Bitcoins, seja enviada de qualquer lugar do mundo para qualquer outro lugar do mundo, é justamente acabar com a internet.

E a rede Blockchain, na qual o Bitcoin é a principal ferramente, tem outra vantagem em relação à Caridade Institucional. Digamos que você prefira confiar seus recursos à Legião Da Boa Vontade. Eles iriam enviar a você o endereço Bitcoin deles e através daquele endereço, você poderia verificar absolutamente todas as transações que a LBV, ou qualquer outra instituição de sua preferência fizesse.




Suponhamos que ao invés de ajudar o povo do Espírito Santo, a instituiçõa que você confia resolva aplicar seus recursos no plantio de uma erva chamada Canabis Sativa. O mau uso dos recuros poderia ser detectado por absolutamente qualquer um no planeta terra, que tivesse uma carteira bitcoin. Ai você poderia escolher uma organização que tivesse uma aprovação melhor por outros mantenedores.

Só para você ter uma ideia, a organizacão de caridade americana United Way Worldwide declarou recentemente ser a maior organizacão mundial de caridade a receber Bitcoins como doação. Eles operam por ano a modesta quantia de 5 bilhões de dólares.

Observação: as organizações citadas nesta matéria estão aqui apenas a título de ilustração. Este blogueiro nem endorsa, nem invalida a credibilidade de nenhuma delas.

Comentários

Qual seu grande projeto?

Qual seu grande projeto?

Postagens mais visitadas