72 HORAS




“Venha me dizer sorrindo que você brincou. E que ainda é meu. Só meu, seu amor”.  Impossível Acreditar Que Perdi Você – Marcio Greyck  

Aquela madrugada para Lincoln foi marcada por pesadelos que o deixaram confuso e amedrontado. Nestes sonhos macabros, ele e seu pai despediam-se de Vinny no aeroporto dos Guararapes em Recife. Seu irmão iria voltar, para a Academia da Força Aérea, para continuar os excruciantes treinamentos para se tornar oficial. Em outro sonho ele via quando seu pai recebeu uma carta do irmão, dizendo que a vida na aeronáutica era muito pesada e ele não teria condições físicas e psicológicas de continuar. Victor então enviava uma carta a Vinny, dizendo que confiava em sua força. E que ele faria valer a frase do hino nacional: “Verás que um filho teu não foge à luta”.

Naquela tarde, a terra inteira ficou escura durante três horas, desde o meio dia até às três da tarde, altura em que Jesus exclamou: “Eli, Eli, lema sabactaní?”, que quer dizer: “Meu Deus, meu Deus, por que me desamparaste?”


Tendo acordado várias vezes com estes sonhos, Lincoln agora sonhava que ele e seu pai estavam passeando no centro de Recife, quando resolveram ir ao mirante que havia no topo de uma das torres gêmeas. Ao contemplar a Veneza Brasileira e seus sete rios, Victor e Lincoln perceberam um avião enorme, vindo na direção deles, e batendo na torre nos andares logo abaixo de onde eles estavam. Lincoln então acordou apavorado e só conseguia murmurar:

- Meu Deus. Que prazer você pode ter em me deixar tão desamparado? Eu imploro que me ajude.

Falar Com Deus
Davi e Warley Kayzer


Passado o susto inicial, Lincoln foi ao banheiro que ficava perto da lavanderia do hospital e, no caminho, olhou demoradamente para a lavadora de roupa. Ao ouvir o som dela funcionando, percebeu que aquele aparelho não era um instrumento fabricado especialmente para tortura-lo durante a noite. Mas algo no banheiro lhe trouxe emoções fortes. Enquanto tomava banho, ouviu uma voz em outro box, cantando tristemente:

“Na oração encontro calma. Na oração encontro paz. Orar a Deus faz bem à alma. Falar com Deus me satisfaz”. Quando ouviu esses sons, Lincoln teve a clara impressão de ouvir seu pai cantando aquela música em um lugar estranho: a cozinha de uma casa na qual havia uma foto de Recife e outra de Chicago. Apesar de toda a perturbação mental que ele estava experimentando, Lincoln passou a acompanhar com sua bela voz àquela melodia: “Grande é o nosso Deus e as obras que ele faz. O seu amor não tem limites. Em seu perdão encontro paz”.  

A surpresa maior para o garoto não foi lembrar a música e sim, ver ao sair do chuveiro, que realmente havia alguém cantando.

- Você é brasileiro?

- Eu não sei. O médico disse que sou americano, mas eu estou muito confuso. Tudo o que me lembro de mim e de minha família é sobre o Brasil.

Lincoln estendeu a mão para o senhor:

- Meu nome é Lincoln.

Angel In The Morning (Anjo Na Manhã) - Juice Newton


O garoto estava tão perturbado, que não percebeu ter entendido perfeitamente em inglês, quando o senhor respondeu a ele:

- Just call me Angel! (Basta me chamar de anjo!).

- Por que você está aqui?

- Eu tive uma depressão profunda, porque não consegui trazer minha esposa e meus três filhos para o seu país. Vou voltar para o Brasil em uma semana.

- Pelo menos você tem uma família para voltar. Tudo o que eu penso que sei sobre mim mesmo é uma ilusão. Nem mesmo tenho certeza de que Deus se importe comigo.

(homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra. Hebreus 11:38


- Olha garoto. Eu vou dizer como Deus ama e se importa com você. Ele fez um sujeito deixar sua esposa e filhos em outro continente, e o trouxe para seu país. Fez este camarada ficar muito aflito e vir parar neste lugar. Só para lhe dizer que ele o ama. E que vai ficar tudo bem.

- Espero que você esteja certo. Vou tentar dormir agora. Boa noite e obrigado pela conversa.

Ao acordar na manhã seguinte Lincoln escovou os dentes, vestiu uma calça e uma camiseta qualquer e foi para o refeitório do Cape Cod Hospital, no qual já tinha plena consciência que estava. Comeu sucrilhos e duas bananas. Sua refeição matinal predileta. Dirigiu-se então ao consultório do Dr. Paulo Ferreira e perguntou à secretaria, se ele poderia atendê-lo. Ela achou estranho o fato de ele estar falando inglês. Coisa que ela não tinha visto nem uma única vez, desde que chegara ali com uma cara de vítima de filme de terror. O doutor Paulo com sua paciência costumeira levou Lincoln para sua sala e perguntou se ele queria deitar-se no divã ou sentar-se em uma cadeira normal.

- Eu já sei o que aconteceu comigo. O senhor foi de grande ajuda para eu me situar no mundo. Então se não se importa, pelo menos hoje eu gostaria de não ser tratado como um doente mental.

O médico colocou uma cadeira para ele em frente à sua escrivaninha. Antes de sentar-se no outro lado, tirou o avental branco e o guardou em um armário. Queria deixar o garoto bem à vontade. Começou então sua última conversa com Lincoln.

- Aparentemente, você está bem. E pelo jeito aprendeu falar inglês bem rápido. Vamos então a uma pergunta simples: qual o seu nome completo?

- Meu nome é Lincoln Holts e eu moro em Taunton, Massachusetts, com alguém que eu não sei se ainda está vivo. O nome dele é Victor Dorsey. Ele entrou com um processo para minha adoção e de outro garoto de nome Vinicius.

Lembrai-vos deste mesmo dia, em que saístes do Egito, da casa da servidão; pois, com mão forte, Yavé vos tirou daqui. Êxodo 13:3


- Você lembra de ter dito a mim que seu nome era Lincoln Almeida?

- Lembro sim. Antes de receber a cidadania americana, e entrar com o pedido de adoção, o nome do meu pai era Victor Almeida. O resultado do pedido ainda não tinha saído da última vez que nos vimos.

O doutor Paulo gostou de Lincoln estar falando coerentemente.

- Quem é Brian Holts?

- Legalmente ele era meu pai, embora eu não o considere assim. Ele está morto. E foi por isto que fomos a Nova Iorque antes dos atentados. Fui lá receber a herança que eu tenho direito como seu único herdeiro. Meu irmão ficou em Taunton, onde moramos.

- Então você lembra de ter estado lá?

O vencedor herdará tudo isto, e eu serei seu Deus e ele será meu filho. Apocalipse 21:7


- Lembro sim. Eu e meu pai adotivo passamos alguns dias lá. Aliás, sempre que eu me referir ao meu pai, é ao Victor que estou me referindo. Certo?

- Qual foi a última vez que você viu seu pai?

- Se ainda estamos no ano de 2001, foi no dia onze de setembro. Eu cheguei à torre norte, onde ele estava, no momento exato em que ela desabou.

- Estamos sim. Faz três dias desde que isto aconteceu. Sobre o seu pai estar morto, eu não sei dizer. Morreu muita gente lá, depois que dois aviões bateram nas torres. Um em cada uma delas.

Pois assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre de um grande peixe, assim o Filho do homem ficará três dias e três noites no coração da terra. Mateus 12:40


Lincoln ficou aliviado de não estar ficando louco. Ao mesmo tempo, lágrimas corriam de seus olhos ao lembrar o homem maravilhoso que ele chamava de pai e também de seu irmão.

- Quem é Murilo?

 - É um rapaz brasileiro que mora na Hungria. Meu pai o ajudou a não ficar cego quando ele era criança. Nós conversamos bastante com ele pela internet. Eu acho que o meu pai sempre quis ser pai dele.

- Você já morou no Brasil?

- Não. Meu pai nasceu lá. E sempre nos contava sobre como era sua vida no país onde nasceu. Só não entendo por que eu lembrava estes fatos como se fosse eu quem os tivesse vivido.

- Você teve uma crise de paranoia, causada pela possível perda do seu pai. Nesta crise você criou uma realidade alternativa, na qual era um turista brasileiro. Preocupado com uma possível recaída do garoto, o doutor Paulo falou com muito cuidado as próximas palavras:

- Você lembra como veio parar aqui?

- Após ver a torre desabando eu fui para uma praça. Mas não quero acreditar que o que eu fiz seja verdade.

- A melhor maneira de você se curar completamente é enfrentar a realidade, por mais dolorosa que ela seja. Você quer falar sobre o que aconteceu?

- Na praça eu fiquei falando alguma coisa sobre valer a pena estar vivo ou não. E, se for verdade, eu tirei toda minha roupa e fiquei chamando por meu pai em frente à fonte. Mas eu não tenho certeza se isto é verdade.

- Infelizmente é. O que mais.

- No hospital, eu fiquei com medo que eles chamassem a imigração.

Soul Survivor (Alma Sobrevivente ) - Young Jeezy e Akon


O doutor Paulo abriu uma gaveta do lado direito de sua escrivaninha, tirou um envelope grande e branco de dentro dela, no qual estavam os documentos de Lincoln. Inclusive as duas escrituras.

- Isto é seu. Eu acho que você já está recuperado. Mas tem de tomar cuidado com o que vai fazer daqui para frente, pois uma recaída infelizmente pode ser definitiva. Você quer que chamemos alguém para vir lhe buscar?

– Não é necessário. Obrigado por tudo. O senhor é um homem muito bom.

- Ao sair da sala, Lincoln foi ao refeitório e sentou-se na mesma mesa que Angel estava.

- Eu vou sair do hospital em alguns minutos. Eu não sou um profeta como você, mas espero que dê tudo certo para você e sua família.

- Eu já passei por coisas bem piores na vida, meu jovem. Eu sou uma alma sobrevivente.

- Tem uma coisa que eu gostaria que você soubesse. Antes de conhecer meu pai adotivo, eu não acreditava em coisas sobrenaturais. Mas agora eu tenho certeza de que Deus envia seus anjos nas horas mais difíceis. Eu não sei se algum dia iremos nos reencontrar. Mas eu sempre vou lembrar de você como meu anjo.

E Nunca Mais Eu Vou Deixar Você Tão Só - Raça Negra


Após sair do hospital, Lincoln foi para a rodoviária e comprou uma passagem para Boston. Como o ônibus só iria sair em meia hora, ele comprou um cartão telefônico e ligou para sua casa.  Victor e Vinny estavam na internet procurando saber se Milla tinha alguma informação sobre ele. Os contatos dela procuraram em todas as delegacias e hospitais da cidade de Nova Iorque, mas não tiveram qualquer notícia. Os dois ouviram então o telefone tocar e Vinny levantou para atender. Foi no mesmo quarto onde no dia onze de setembro seu pai salvou sua vida por meio de um celular.

- Alô.

- Vinny?

- Quem é?

- Sou eu maninho. O Link.

- Link? É você mesmo? – Vinny, de tão emocionado, deixou o irmão falando sozinho e foi chamar o pai.

- É o Link. Ele está vivo.

- Victor correu em um flash, até chegar ao quarto que já fora de Lincoln.

- Lincoln, meu filho. É você mesmo? 


Ele me chamará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação. Salmos 89:26
Joe West e Barry Allen (The Flash)


- Você está vivo? Que bom, daddy. Eu fiquei tão desesperado pensando que tinha perdido você que fui parar em um hospício.

-Onde você está Link? Como Deus é bom! Nunca mais eu vou deixar você tão só meu filho.

- Estou na rodoviária de Cape Cod pegando um ônibus a caminho de casa, daddy. Chego aí amanhã.

- Você não acha melhor pegar um avião?

- Nunca mais eu entro num troço daqueles, pai.

- Eu entendo, meu querido. Até amanhã então. Eu e seu irmão amamos você e vamos fazer uma festa do tamanho do mundo quando você chegar.

Tamanha alegria fez com que Victor e Vinny passassem o resto do tempo ligando para os amigos. Marcaram uma festa de boas vinda para dois dias depois. Apesar de também ter ficado feliz, Milla disse que infelizmente não poderia aceitar o convite. Estava com passagem para a Califórnia no dia seguinte, em uma missão para o Senador Tom Clance. Naquele dia Vinny soube o que significava alguém renascer dos mortos.

Décimo nono capítulo do romance NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS
Catalogação NA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS – AS CRÔNICAS DE VICTOR DORSEY / VICTOR DORSEY NÚMERO DE REGISTRO: 595.801 LIVRO: 1.140 FOLHA 325 Nenhuma parte deste romance poderá ser reproduzida ou copiada, constituindo infringimento da lei de copyright. 

Comentários

VOLTE SEMPRE

VOLTE SEMPRE

Postagens mais visitadas deste blog

CARTA ABERTA A VITOR RODRIGUES FERRULIA

BITCOIN (MOEDA DIGITAL) - FAZENDO AS PERGUNTAS CORRETAS

CIDADE DE CHICAGO USARÁ A BLOCKCHAIN PARA REGISTRO DE IMÓVEIS