AO MESTRE COM CARINHO





“Quantas vocês em seu canto no silencio você busca o meu olhar. E me fala sem palavras que me ama. Tudo bem, tá tudo certo”.

Alma Gêmea – Rodrigo Rios

- Bom dia Victor.

- Bom dia Vinny. Você está com algum problema?   

Isto era uma conclusão óbvia para Victor Almeida, diante do rosto preocupado de seu empregado Vinicius Poissant. O garoto estava com a aparência visivelmente abatida.

Não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus empregados. Lucas 15:19


- Prá ser bem sincero estou sim. Eu sei que você me paga mais do que qualquer outro patrão, que eu poderia ter por aqui. Mas eu estou precisando ganhar um pouco mais. Eu queria saber se você não poderia me colocar para trabalhar na cozinha.

- O Rodrigo está voltando para o Brasil em um mês. Vou contratar alguém para ficar em seu lugar, e peço para ele treinar você para substituí-lo. Pode ser?

- Claro que pode. Você não faz ideia de como estou mesmo precisando de uma grana extra. Mas quando você vai poder fazer isto, já que ele ainda vai demorar tanto tempo para sair?

Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens. 1 Coríntios 7:23

- Não se preocupe que colocar alguém no seu lugar vai ser fácil. Creio que um mês é tempo suficiente para você aprender a cozinhar. Eu vou pegar os horários dele e amanhã mesmo você pode começar em sua nova função. O Lincoln vai gostar bastante disto, já que vocês vão passar mais tempo juntos. O horário dele é quase igual ao do Rodrigo. E agora que o Lincoln está fazendo minha parte na cozinha, vou poder administrar melhor o restaurante.

- E você vai ficar pagando o salário de duas pessoas, para fazer o trabalho de uma só?

- Eu sei o que estou fazendo. Eu vou ver os horários do Rodrigo e ligar para ele. Não se preocupe que ele é um ótimo professor.

- Obrigado Victor. Sinceramente eu só vim falar com você, porque eu sabia que você faria o que pudesse prá me ajudar. Olha. Eu não queria de modo algum me intrometer em sua vida. Mas queria dar uma sugestão sobre um assunto seu.

- Claro Vinny. Antes de qualquer coisa, eu considero você um bom amigo. Principalmente pelo modo como eu vejo você se relacionando com o Lincoln. Ele sempre fala muito bem de você.

- É exatamente sobre ele que eu queria conversar.

Victor ficou um pouco preocupado com o rumo daquela conversa. Afinal de contas nos últimos cinco meses, Lincoln tinha lhe trazido muita alegria e mudado radicalmente seu dia a dia. Ele deixou de ser um patrão preocupado em administrar bem um restaurante, para ser alguém feliz com outro tipo de vida que ele nem imaginava que fosse ter um dia. Pensou que talvez o garoto estivesse passando por alguma dificuldade e não quisesse incomodá-lo.

- Olha Victor. Eu tenho visto como vocês dois se curtem pacas e vez por outra sinto que ele tem certo desconforto porque você é patrão de um adolescente e ao mesmo tempo mora com ele. Sei que você tem lidado bem com a língua de algumas pessoas por aqui, mas acho que você deveria resolver esse problema de uma vez.

- E o que você sugere.

- Adote ele logo. Acho que a não ser você, eu sou a pessoa que mais conversa com o Lincoln por aqui. E não aguento mais ver a dificuldade que ele tem para chegar logo em você e falar do amor que sente. Algumas vezes é até complicado estar com ele, porque ele só sabe falar sobre como você mudou a vida dele e como ele quer ser igual a você. E posso lhe garantir que ele sofre muito, com o fato de estar dentro da casa do patrão e ao mesmo tempo achar que pode perder aquilo algum dia. E não estou falando de perder o conforto do lugar. Estou falando de perder o carinho que você tem por ele.
Ele me chamará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação. Salmos 89:26

- Que bom ouvir você falar isto. Aquele garoto realmente é tudo pra mim. Eu vou conversar com um advogado que nós conhecemos na igreja, para ver o que pode ser feito. Obrigado, amigão. Falando em Lincoln, amanhã é meu aniversário. Eu estava pensando em comemorar, passando três dias com ele em Chicago. O que você acha de ir conosco?

- Victor. Eu acabei de lhe pedir aumento. Além do mais, eu já tive férias este ano. Minha vida financeira está um pouco ruim e não dá para eu gastar com uma viagem como esta.

- Faz o seguinte. Como eu falei é o meu aniversário. E como você e o Lincoln adoram me lembrar, eu sou o chefe de vocês. Então eu, Victor Almeida, o chefe supremo do Restaurante Koinonia, quero me dar de presente de aniversário três dias superdivertidos na cidade de Chicago, com meus melhores amigos. Que tal?



E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e falou alto, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. João 7:37

- Claro Victor. Desse jeito quem vai ter um feliz aniversário serei eu. Agora deixa eu trabalhar, que o restaurante está começando a ficar cheio.

- Obrigado por seu interesse em resolver minha situação com o Link. Eu vou ver o que posso fazer. Se você tiver mais algum problema não deixe de me procurar.

Quando terminou seu turno, Vinny foi conversar com Lincoln, que estava chegando para o trabalho da noite. Ao contrário de quando chegou, ele estava muito entusiasmado. O aumento de salário iria resolver realmente uma boa parte de seus problemas.

- Oi. Mano. Eu queria combinar uma coisa com você.

- Que foi. Alguma novidade?

- É lógico que você sabe que amanhã é o aniversário do Victor. O que você acha de nós dois fazermos uma festa surpresa para ele aqui no restaurante?

- Legal mesmo. Eu já estava pensando no que fazer. O que você sugere?

- Eu não sei como o Victor pode nunca ter percebido como você canta bem. E eu sei tocar violão. Pensei que nós dois poderíamos fazer um show para ele aqui, à noite. É quando o restaurante está mais cheio e nós dois vamos trabalhar pela manhã.

- Ideia genial. Um amigo meu do curso de português me ensinou a fazer um bolo bem legal. Vou fazer um lá em casa, enquanto ele estiver trabalhando, e trazemos tudo sem ninguém saber. O Vic sempre passa aqui à noite e eu venho de taxi para ele não desconfiar de nada. Mas como a gente faz para ensaiar sem ninguém saber?

- Isto não é problema. Eu resolvi adiantar a decisão da minha mãe e sai de casa. Aluguei um apartamento bem pequeno, mas que é só meu. Conversei com o Victor e ele me promoveu a cozinheiro a partir de amanhã, mas ele não sabe que o motivo é este. Podemos então ensaiar em minha casa.

Na residência de meu Pai há muitas habitações; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. João 14:2

- Mas você está bem? Se você quiser, eu posso perguntar para o Vic se você não pode morar lá na casa dele também.

- Por enquanto não, mano. Deixa eu tentar cuidar de mim sozinho um pouco.

- Certo. Mas, não esqueça que o Victor ia odiar saber que você está passando algum apuro e não conversou com ele.

- Eu já conversei o suficiente.

O restaurante estava lotado de gente quando Lincoln e Vinny chegaram no dia seguinte para o grande show. O que deve ter deixado os clientes mais frequentes com a pulga atrás da orelha foi aquela caixa enorme que Lincoln estava carregando. Além do fato de os dois rapazes estarem usando roupas chiques demais para quem pudesse querer trabalhar. Isto sem falar que Vinny trazia um violão bem maneiro.

Os rapazes viram que algumas mesas estavam vagas e colocaram o pacote e o violão em uma delas. Pediram a Kristin, a bartender da noite, para chamar Victor no escritório sem dizer que eles estavam lá. Nas sextas feiras havia música ao vivo. Com um telefonema, Lincoln providenciou para que o cantor da noite não viesse.

Lincoln e Vinny foram então até o microfone que já havia sido previamente aprontado por outro cúmplice anônimo. O aparelho já estava ligado quando Victor chegou e surpreendeu-se vendo os dois ali. Lincoln então falou:

Ao Mestre Com Carinho - Sidney Poitier e Lulu


- Algumas vezes na vida somos surpreendidos pelas pessoas que passam por nós. Coisas ruins acontecem com tanta frequência nesse mundo, que quando um gesto de bondade nos atinge ficamos sem saber o que fazer. O senhor Victor Almeida, ali, mudou minha vida desde o primeiro momento em que nos encontramos.

Vinny tomou o microfone do amigo por um instante, e disse:

- Ele mudou a minha ontem. E hoje já estou feliz por saber que tenho um futuro.

Devolveu então o microfone para Lincoln.

- Olha Vic. Eu não sabia nem o que ia ser do meu dia seguinte quando lhe conheci. Você trouxe conforto, paz, e uma dignidade que eu não me julgava merecedor. Eu sinceramente não sei o que você viu em mim. Eu não tenho nada material que não tenha vindo de você mesmo. Mas tem uma frase que eu nunca disse, para absolutamente ninguém, em toda a minha vida. E eu queria que esta frase fosse o meu presente de aniversário para você, aqui e agora, com toda essa gente como testemunha: Eu amo você, Vic.

Desejando muito ver-te, lembrando-me das tuas lágrimas, para me encher de alegria; 2 Timóteo 1:4


Victor nem tentou enxugar as lágrimas que começaram a cair de seus olhos azuis. Os clientes e empregados do Koinonia aplaudiram quando Lincoln e Vinny abraçaram Victor Almeida. Vinny então pegou o microfone e disse:

- Eu não sei falar bonito como vocês dois, mas eu também gostaria de agradecer por você me ensinar e ser um cara mais generoso com as pessoas, e não as julgar por sua aparência. Eu e o Lincoln preparamos umas músicas para cantar especialmente para você e a primeira delas resume tudo o que queremos lhe dizer.

Lincoln pegou o microfone e Vinny o violão. Mesmo aquele povo todo estando acostumado a ver shows naquele lugar os aplausos se multiplicaram quando eles cantaram para seu amigo:





“Quando você estiver triste e confuso e precisar de afeto amoroso. Feche seus olhos e eu estarei lá para clarear mesmo sua noite mais escura. Basta chamar o meu nome e você sabe que eu estarei lá. Pois você tem um amigo.”

O resto daquela noite foi uma alegria só, com os dois garotos cantando várias canções e o bolo sendo repartido com os presentes. Depois de todos os agradecimentos, Victor falou com os rapazes:

- Este foi o melhor presente de aniversário que eu já tive na vida. Eu amo vocês, meus meninos.

Vinny ficou emocionado em ser incluído no “eu amo vocês”. Embora admitisse que sentia mesmo uma inveja branda de seu amigo Lincoln. A partir daquela data, alguns clientes e empregados do restaurante exigiram que os dois passassem a fazer parte das atrações musicais de fim de semana.

Sétimo capítulo do romance: NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS
Catalogação NA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL
NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS – AS CRÔNICAS DE VICTOR
DORSEY / VICTOR DORSEY
NÚMERO DE REGISTRO: 595.801 LIVRO: 1.140 FOLHA 325
Nenhuma parte deste romance poderá ser reproduzida ou copiada, constituindo infringimento da lei de copyright.

Comentários

Qual seu grande projeto?

Qual seu grande projeto?

Postagens mais visitadas